Notícias à comunidade
Artigo publicado em 11/07/2022
Calendário da provas de equivalência à frequência - 2ª fase
Publica-se o calendário da segunda das provas de equivalência à frequência na nossa escola. Tomem conhecimento das datas, horários, modalidades e duração das provas. 
Artigo publicado em 04/07/2022
Relação dos manuais adotados para o ano letivo 2022/2023
Informa-se que já se encontra disponível para consulta a lista dos manuais adotados para o ano letivo 2022/2023, na respetiva página. 
Ir para a página dos manuais
Artigo publicado em 09/06/2022
Calendário das provas finais e de equivalência à frequência
Publica-se o calendário das provas de equivalência à frequência na nossa escola. Tomem conhecimento das datas, horários, modalidades e duração das provas. 
Artigo publicado em 04/05/2022
Calendário das provas de avaliação externa
Aqui se publica o calendário das provas de avaliação externa na nossa escola. Tome conhecimento das datas, horário, modalidades e duração das provas. Leia também a Norma 02, emitida pelo Júri Nacional de Exames, que fornece instruções para realização, classificação e reapreciação das provas e exames do ensino básico e ensino secundário.
Descarregue o calendário
Calendário das provas de avaliação externa.
Norma 02
Instruções para a realização, classificação e reapreciação das provas e exames do ensino básico.
Artigo publicado em 07/04/2022
Guia para a realização das provas de aferição
O Júri Nacional de Exames emitiu este guia no intuito de apresentar um conjunto de orientações essenciais que as escolas devem observar no processo organizativo das provas de aferição.
Descarregue o documento
Guia para a realização das provas de aferição, edição de abril 2022.
Artigo publicado em 31/03/2022
Provas de aferição e exames finais de ciclo
Já se encontram disponíveis os documentos e a legislação oficial relativos às provas de aferição de 2º, 5º e 8º anos, bem como das provas finais de 9º ano.
Norma 01
Descarregue a Norma 01/JNE/2022 - Instruções para a realização provas e exames do Ensino Básico e do Ensino Secundário.
Decreto-Lei n.º 27-B/2022 de 23 de março
Descarregue o Decreto-Lei que estabelece medidas excecionais e temporárias relativamente à avaliação, aprovação e conclusão dos ensinos básico e secundário e para efeitos de acesso ao ensino superior.
Despacho Normativo n.º 7-A/2022
Descarregue o despacho normativo que determina a aprovação do Regulamento das Provas de Avaliação Externa e das Provas de Equivalência à Frequência dos Ensinos Básico e Secundário para o ano letivo de 2021-2022.
Artigo publicado em 05/02/2022
Orçamento participativo das escolas
https://opescolas.pt
O Orçamento Participativo das Escolas (OPE) constitui uma oportunidade que garante aos alunos a possibilidade de participarem no desenvolvimento de um projeto que contribua para a melhoria das escolas que frequentam e do qual possa beneficiar ou vir a beneficiar toda a comunidade escolar.
Potenciando o surgimento de projetos que promovam uma participação ativa e informada dos cidadãos, o OPE tem como objetivos cimeiros fomentar o espírito de cidadania e valorizar a opinião e a capacidade argumentativa dos estudantes nos processos de decisão.
Nos próximos dois anos letivos o OPE-Inclui, tematicamente direcionado para a inclusão, configura-se como um instrumento para a promoção da solidariedade e da inclusão. As propostas devem centrar-se neste eixo de atuação ao promover o envolvimento dos alunos na experiência democrática, nos princípios da representação e da construção de projetos para o bem comum.
O OPE-Inclui faz parte do Plano de Recuperação das Aprendizagens (PRA) e consta do eixo Ensinar e Aprender, domínio 1.3 – Recursos Educativos, com ações específicas complementadas por roteiros descritivos e por webinars.

Orçamento participativo das escolas - inclui

No contexto do OPE- Inclui, deverão os alunos apresentar propostas que relevem, nomeadamente, para Inclusão e Bem-estar, com ações específicas que fomentem a inclusão dos alunos mais vulneráveis tendo em vista a promoção de uma escola inclusiva e promotora de bem-estar individual e coletivo.
Reconhecido o valor do Orçamento Participativo das Escolas como instrumento para o envolvimento dos alunos na experiência democrática, nos princípios da representação e da construção de projetos para o bem comum, este será, nos próximos dois anos letivos, tematicamente direcionado para a inclusão, desafiando os estudantes a apresentar propostas dirigidas à inclusão de todos, sobretudo dos mais afetados pela pandemia.
Sobre o domínio da inclusão consulte também: https://escolamais.dge.mec.pt

Público-Alvo e Apresentação de Propostas

Podem apresentar propostas de OPE os estudantes do 3.º ciclo do ensino básico e/ou do ensino secundário, que frequentem estabelecimentos públicos de ensino.
As propostas são contidas num texto até 1000 palavras, com ou sem imagem ilustrativa, e devem referir expressamente a sua compatibilidade com outras medidas em curso na escola e a sua exequibilidade com a dotação atribuída ao orçamento.
Cada proposta deve ser subscrita individualmente ou em grupo (máximo de 5 proponentes); ser apoiada por, pelo menos, 5% dos estudantes com direito de voto, através da indicação do nome, número de estudante e assinatura.
Nesta edição, tal como nas anteriores, e dando continuidade à promoção da literacia digital como uma prioridade educativa do nosso tempo, é possível apresentar diretamente as candidaturas na página do OPE https://opescolas.pt/ no separador “Inscrição”. Contamos com os diretores para promoverem também esta modalidade de inscrição, e para ajudarem os alunos, caso seja necessário. Esta opção não exclui a possibilidade de entrega da candidatura em papel na secretaria, sendo que, neste caso, caberá à escola introduzi-la nessa mesma página, mais tarde, respeitando os prazos regulamentados.
O coordenador responsável pelo OPE em cada escola deve aceder a https://opescolas.pt/ para validar as propostas e indicar, num prazo de duas semanas após as votações, o número de votos que cada proposta obteve, indicando a vencedora. O acesso à área reservada às escolas é feito com o mesmo login e password do Portal das Escolas e do MISI.
Desta forma, desmaterializa-se o processo, com benefícios para o ambiente, e com vantagens, quer para os alunos, que poderão consultar, a qualquer hora e em qualquer lugar, todas as propostas da sua escola e restantes aderentes, quer para as escolas, agilizando o processo e posterior tratamento de dados.
Através de uma verba adicional aos orçamentos das escolas, o Ministério da Educação disponibiliza para o OPE um euro por cada aluno do 3.º ciclo e/ou do ensino secundário. No caso das escolas com menos de 500 alunos, o valor a atribuir será de 500 euros. A verba disponibilizada pode ser complementada por financiamentos suplementares.
Tal como consta no regulamento, o OPE-Inclui tem as seguintes etapas: 
 
1. Apresentação da iniciativa nas escolas: até ao final de janeiro; 
2. Desenvolvimento e apresentação das propostas: até ao final de fevereiro; 
3. Divulgação e debate das propostas: nos 10 dias úteis anteriores à votação; 
4. Votação das propostas: 24 de março, Dia do Estudante; 
5. Divulgação dos resultados: até ao final de março; 
6. Planeamento da execução pela escola: até ao final de maio; 
7. Execução da medida: até ao final do respetivo ano civil. 

Para mais informações, aceda a: https://opescolas.pt/
Artigo publicado em 15 /01/2022
Aprendizagem em Freixo de Espada à Cinta já se faz com tecnologia de ponta
In http://brigantia.pt
Os alunos de Escolas Guerra Junqueiro, em Freixo de Espada à Cinta, vão começar a ter algumas aulas com recurso a vários equipamentos tecnológicos de última geração.
A ideia é revolucionar a maneira como lhes são transmitidos alguns conhecimentos.
Acaba assim de ser inaugurada uma sala, onde não falta material inovador, nomeadamente quadros interactivos e óculos de realidade virtual e aumentada. Uma forma de desenvolver múltiplas competências.
“Este espaço surgiu também de uma necessidade que o agrupamento tem em criar um ambiente específico de aprendizagens que nós lhe chamamos uma sala TTL. É um espaço renovado, com equipamento de última geração e no fundo é para proporcionar um ambiente educativo inovador”, explicou Albertina Parra, directora do agrupamento.
Este espaço de aprendizagem foi organizado a pensar no desenvolvimento de competências do século XXI e será utilizado por todos os alunos do agrupamento escolar, de qualquer unidade curricular.
“Por exemplo, o primeiro ciclo, o professor terá que ter pelo menos quatro aulas por mês naquela sala. É da competência do professor ver que conteúdos vai trabalhar naquelas quatro aulas, que tem que obrigatoriamente que estar naquele espaço, utilizar aqueles equipamentos, pode ser no Português, na Matemática ou no Estudo do Meio”, acrescentou a directora.
Esta sala de tecnologias está também equipada com mobiliário reconfigurável e dinâmico, que permite múltiplos ambientes de aprendizagem num mesmo espaço. A criação da sala foi possível através de uma candidatura ao NORTE 2020, que pode ser feita por qualquer agrupamento que integre um Território Educativo de Intervenção Prioritária, como é o caso do de Freixo.
O agrupamento de Escolas Guerra Junqueiro integra um Território Educativo de Intervenção Prioritária, cujo lema é Agir e Inter@gir para a Mudança e Inovação Pedagógica.
Escrito por Brigantia 
 Jornalista: Carina Alves
Ler artigo na origem